LATERAL4.jpg
LATERAL4.jpg
LATERAL4.jpg
LATERAL4.jpg

O nordeste conquistando as estrelas

nordestelar amarelo copy.png

uma obra

        A Intrínseca vai explorar os confins do universo com o lançamento do livro A vida e as mortes de Severino Olho de Dendê, de Ian Fraser. Nesta ópera espacial, o autor combina elementos culturais do Nordeste a viagens intergalácticas, grandes conspirações e espécies de diferentes planetas em uma narrativa irreverente e inesquecível.

 

Na trama, o ano é 2577 e o espaço foi explorado pelos humanos graças à invenção da propulsão Guineensis, mecanismo que usa o óleo de dendê como combustível. A relação entre as variadas formas de vida é mediada pela Federação Setentrional, uma organização militar cujo objetivo é proteger, regulamentar e explorar o espaço exterior.

 

É nesse contexto, no planeta Cabula XI, que vive um humano chamado Severino. Após um acidente na Terra que quase provocou sua morte e lhe tirou tudo que mais amava, Severino passou a trabalhar como investigador profissional ao lado do melhor amigo, Bonfim, um alienígena cheio de estilo e de boca afiada. Só que Severino não é um investigador comum: no lugar do olho esquerdo, ele traz o Olho de Dendê, uma invenção que lhe permite ver as circunstâncias da morte de pessoas recém-falecidas. 

capa severino.jpg

Durante a investigação de um assassinato suspeito, Severino e Bonfim descobrem que a Federação pode estar envolvida em um plano com fins escusos e muito perigosos. Mas a dupla de investigadores não é a única buscando respostas, e seu caminho se cruza com o da inspetora Antonieta Capitolina Macabéa, uma capivara geneticamente modificada que serve à Federação sob a patente de Carcará Carmesim, e com a de Filomena, integrante do grupo revolucionário Paladinas do Sertão e antigo amor de Severino. 

 

Para desvendar o caso, Severino terá que se juntar a Antonieta, Filó e outras figuras do seu passado, enfrentar seus traumas e lutar por um futuro possível para todos. O livro é repleto de referências à cultura pop, com uma trilha sonora particular e traz capa e projeto gráfico inspirados em clássicos da ficção científica e na estética do Movimento Armorial, idealizado pelo escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. Em A vida e as mortes de Severino Olho de Dendê, Ian Fraser constrói uma trama divertida e original que celebra o poder da amizade, do amor, da música, da literatura e do Nordeste.

Compre seu livro aqui

intrin logo.png

Personagens

 
severino 01.png

SEVERINO CALLADO: 

Severino nasceu na Terra no ano de 2542. Com 18 anos, entrou na academia da Federação Setentrional ao lado de seu irmão, Jeremias, e juntos treinaram para serem Carcarás Carmesins. Durante o primeiro ano de treinamento, Severino conheceu Filomena, com quem acabou desenvolvendo uma romance, apesar de ela ser uma Paladinas do Sertão, organização inimiga da Federação. Após 7 anos de namoro, com apenas dois anos exercendo a função de Carcará Carmesim, Severino achava que estava pronto para pedir Filó em casamento. Mas o destino atrapalhou. Severino e Jeremias foram convocados por Clapsson Tergonvier para realizar uma missão secreta, investigando uma possível fraude em uma das instalações da ProPague. A investigação terminou em uma explosão que custou as vidas de Jeremias e Clapsson. 

Severino sobreviveu, mas perdeu seu olho e braço esquerdos no atentado. O dr. Albérico, com quem Severino acabou desenvolvendo uma bela amizade ao longo dos anos, fez questão de realizar a operação emergencial, substituindo os membros perdidas por membros cibernéticos. Ao acordar do procedimento, o dr. Albérico avisou Severino que o seu olho mecânico teria uma habilidade peculiar: ao chupar raiz de jurema preta e após depositar uma gota de sangue de uma pessoa recém morta no processador embutido em seu braço, Severino conseguiria ver a morte da vítima.

A investigação liderada por Clapsson Tergonvier foi considerada ilegal e Severino acabou sendo exonerado. Em um estado de depressão, ele terminou seu relacionamento com Filomena. Sem muitos prospectos de dias bons, se mudou para Apuava, no outro lado do planeta. Lá, ele mora com seu melhor amigo, Bonfim, e juntos fazem bicos como investigadores profissionais, usando as visagens de seu olho de dendê para resolver crimes considerados impossíveis de serem solucionados. 

Bonfim: 

Bonfim é um puiuiú, uma raça alienígena oriunda do planeta Zolriatis, o sexto planeta em órbita da estrela Sucupira. Chegando a ter no máximo um metro de altura, os corpos dos puiuiús são cobertos por uma vasta cabeleira, que oculta completamente seus braços e pernas. Sem olhos, a raça alienígena possuiu uma poderosa audição ultrassônica, permitindo com que eles se movam perfeitamente por qualquer ambiente usando ecolocalização. Mas, sem sombra de dúvida, a habilidade mais notória dos puiuiús é a capacidade emocatalisadora da espécie, podendo acessar e compartilhar emoções e sensações de outros seres. Tal habilidade, por mais incrível que pareça, se tornou uma sina para aquele povo: uma das práticas ilegais mais comuns nos sistemas da Federação é o uso de puiuiús como recipientes emocionais. 

bonfim 01.png
 

Após anos trabalhando na recuperação de puiuiús que viviam sendo explorados por suas habilidades, Bonfim decidiu dar um novo rumo a sua vida, atravessando a galáxia como caçador de recompensas, prendendo e capturando os criminosos mais procurados pela Federação com sua antiga parceira, Jurema Espinhosa. Durante uma das caçadas, Bonfim conheceu Severino, com quem acabou desenvolvendo uma forte amizade.

Após a exoneração de seu amigo, Bonfim convidou Severino a abrir uma agência de investigação em Apuava. 

filomena 01.png

Filomena: 

Filomena é filha de Dinha, a Matriarca das Paladinas do Sertão, uma força paramilitar com atuação espalhada por todo os sistemas anexados à Federação Sententrional. Sob a sombra de uma das heroínas da Guerra Vermelha, Filó foi criada como uma guerreira, aprendendo desde cedo as mais variadas técnicas de combate. Não bastasse as demandas de ser filha de Dinha, Filomena se viu novamente na sombra de gigantes quando sua mãe começou um romance com o dr. Albérico Lima dos Santos, fundador da ProPague e dono da mente que para sempre mudou o rumo da humanidade. O romance entre Dinha e o velho Albérico era segredo guardado a sete chaves, com visitas breves e esporádicas, mas mesmo assim, para Filomena, aquela era sua família e isso era o que importava.

 

Obstinada a se tornar uma liderança dentro das Paladinas do Sertão, Filó passou parte de sua juventude como uma das Ganhadeiras da organização, servindo como a representante da cidade de Salvador, que voltou a ser capital do Brasil após a Guerra Vermelha. Enquanto aproveitava as férias juninas em uma estação em órbita de Saturno, Filomena conheceu um jovem rapaz que cativou sua atenção. Mal sabia ela que o homem treinava para ser Carcará Carmesim. A paixão com Severino foi intensa e pulsante, e os dois pouco se importaram com o fato de que eram destinados a serem inimigos (assim como foi com Dinha e Albérico). 

Após a morte de Jeremias e, consequentemente, sua exoneração, Severino partiu o coração de Filomena, colocando um fim no relacionamento. Filó se dedicou ao trabalho, rapidamente escalando a hierarquia das Paladinas e se tornando Salvaguarda.

 

Antonieta capitolina macabéa: 

Vítima de experiências genéticas ilegais, Antonieta é prova viva do que  pode acontecer quando a ambição humana segue sem uma linha moral para controlá-la. Nascida de um tubo de ensaio, a capivara humanoide foi a única sobrevivente das experiências promovidas pela empresa Broloanos & Prumt. Resgatada pelo doutor Albérico Lima dos Santos, que a encontrou abraçada a um livro e com a identificação E.T.G.H. 76.87/9 tatuada em seu couro, a então pequena capivara recebeu o nome de três personagens fortes da literatura brasileira: Antonieta Capitolina Macabéa.

Criada pelo velho Albérico, a juventude de Antonieta foi marcada por incontáveis sessões de fisioterapia e cirurgias de correção, visto que seu corpo não conseguia sustentar o próprio peso.

antonieta 01.png

Leitora ávida, Antonieta se formou com honras no curso de Línguas Estrangeiras Modernas. A rotina acadêmica, entretanto, não era o que ela aspirava para sua vida. Seu real desejo era servir a Federação como Caurê, os maiores pilotos de combate, contudo, as limitações de sua criação genéticai impossibilitavam que ele passasse nas provas de resistência física. Sendo assim, Antonieta decidiu ingressar no treinamento Carcará, onde acabou conhecendo e fazendo amizade com Severino Callado.

jua 01.png

Juá: 

Juá é uma Defendente, uma carranca robótica de proteção pessoal. Parceira de Filomena em suas aventuras como Salvaguarda, Juá é dona de uma inteligência artificial avançada, o que lhe confere o status de ser vivo cibernético, uma categoria de vida que lhe garante direitos e deveres de cidadão tal qual humanos e alienígenas. 

Além de forte, robusta e perita em cenários táticos, Juá gosta de admirar as pequenas coisas da vida, como bolhas de gás num copo de refrigerante. 

universo ampliado

federacao-1 copy.png
 

federação setentrional: 

Organização intergovernamental e interestelar criada para administrar as leis do espaço exterior e promover a cooperação de povos terráqueos e não terráqueos. Com uma hierarquia militar, a Federação não tem nenhum vínculo político, seguindo os protocolos firmados e aprovados pela Organização Setentrional, que veio a substituir a ONU após a descoberta de novas formas de vida. A missão da Federação Setentrional é manter a segurança e a paz intergaláctica, explorar o espaço exterior e descobrir novas formas de vida, promover os direitos humanos e não humanos, auxiliar no desenvolvimento econômico e no progresso social, proteger o meio ambiente e prover ajuda humanitária em casos de fome, desastres naturais e conflitos armados entre todas as espécies.

 

CARCARÁ CARMESIM: 

Uma das patentes dentro da Federação Setentrional é a divisão Carcará, responsável por investigar crimes cometidos no espaço exterior ou que envolvem agentes da Federação. Liderada pela patente do Acauã Cinábrio, a divisão Carcará é ramificada em várias vertentes, sendo uma das mais conhecidas a subdivisão Carmesim, responsável por investigar homicídios que acontecem no espaço exterior. Com o lema "olhos atentos, garras afiadas", os inspetores Carcarás Carmesins possuem a fama de serem extremamente competentes em suas investigações

carcara patch10 copy.png
 
propague real copy.jpg

Propague: 

Fundada pelo dr. Albérico Lima dos Santos no ano de 2510, a ProPague é uma empresa de capital aberto no segmento de energia, focada na produção, refino, comercialização e transporte de óleo de dendê. Dona de milhões de hectares espalhadas por milhares de planetas, e com sede em Salvador, Bahia, a ProPague é a maior empresa em todos sistemas anexados por receita.

Além da produção do óleo de dendê, a ProPague é dona da patente dos motores de Propulsão Guineensis, possuindo monopólio na fabricação de tais peças.

Com os lucros exorbitantes, a ProPague é uma das maiores investidoras e beneficiadoras da Organização e da Federação Setentrional, tento muita influência em ambas instituições

 

as paladinas do sertão: 

Criada por Dinha durante a Guerra Vermelha, no finalzinho de 2513, as Paladinas do Sertão nasceram como um esquadrão de guerreiras determinadas a conter os avanços dos Estados Confederados do Sul, que ameaçavam tomar conta da cidade de Cândido Salles, no interior da Bahia. Sob a liderança de Dinha, o esquadrão impediu a tomada do município com certa facilidade, ganhando notoriedade pelas mídias. Formada apenas por mulheres, as Paladinas do Sertão cresceram em números, sendo convocadas pela União Setentrional a assistir em mais batalhas. Em 2517, Dinha e suas guerreiras foram decisivas na vitória da Batalha de Itabatã, um dos embates mais violentes em todo o conflito civil.

Após a vitória na Guerra Vermelha, a relação de Dinha com a União Setentrional rapidamente se desmanchou. A mulher não concordou com a criação da Federação, temendo que uma organização militar intergaláctica levaria a um modelo de opressão e submissão. Com os laços rompidos, Dinha decidiu manter as Paladinas do Sertão ativas, vigiando e batendo de frente com a Federação Setentrional, ao ponto de se tornarem organizações inimigas. 

yalode patch12 copy.png
iasnfraser-.jpg

Arte de Jefferson Costa

citações

SEVERINO HET 002.png

"Eu sou uma vida a base de palavras. Livros são meu DNA."

- Antonieta

SEVERINO HET 005.png

"Viver é caro como uma porra. Custa a vida todinha."

- Bonfim

SEVERINO HET 001.png

"Morrer nunca melhorou

a vida de ninguém."

- Severino

SEVERINO HET 004.png

"Eu sou uma guerreira. Eu não começo combates, eu ponho um fim neles."

- Filomena

SEVERINO HET 003.png

"A indiferença é mais cruel que a morte."

- Juá

Artes de Lorena Herrero

 

a música severina

emega poster copy2menor copy.jpg

A música é fator fundamental na narrativa de A vida e as mortes de Severino olho de dendê. Diretamente interconectada à trama, a música brasileira serve não só para dialogar com a cena, mas para reforçar o sentimento antropofágico do Tropicalismo, buscando no consumo das próprias entranhas a solução do ser. Severino olho de dendê é uma ode à brasilidade. As canções são plurais tanto em artistas e seus gêneros (temos o hip hop do Emicida e temos o sertanejo de Chitãozinho e Xororó; temos o soul de Tim Maia e o axé eletrônico do BaianaSystem). 

A brincadeira de ter uma trilha sonora numa obra literária acha vida na criação da Rádio Serendipidade. Detentora de uma inteligência artificial tão poderosa, a emissora consegue tocar a música apropriada para o momento, independente de quem estiver ouvindo.

"Na trama, tudo os drama turvo, eu sou um dramaturgo

Conclama a se afastar da lama, enquanto inflama o mundo

Sem melodrama, busco grana, isso é hosana em curso

Capulanas, catanas, buscar nirvana é o recurso

É um mundo cão pra nóiz, perder não é opção, certo?

De onde o vento faz a curva, brota o papo reto

Num deixo quieto, num tem como deixar quieto

A meta é deixar sem chão, quem riu de nóiz sem teto"

Arte de Vitor Wiedergrün

FW_Vinyl_Record_Mockup2 copy5.jpg
FW_Vinyl_Record_Mockup2fundo copy.jpg